AltaVista
Google

Apêndice F. O repositório CVS

Sumário
F.1. Obtenção do código fonte via CVS anônimo
F.2. Organização da árvore do CVS
F.3. Obtenção do código fonte via CVSup

O código fonte do PostgreSQL é armazenado e gerenciado utilizando o sistema de gerenciamento de código CVS. [1]

Estão disponíveis pelo menos dois métodos, CVS anônimo e CVSup, para trazer a árvore de código CVS do servidor PostgreSQL para a máquina local.

F.1. Obtenção do código fonte via CVS anônimo

Se for desejado se manter atualizado regularmente com os fontes correntes, pode-se trazê-los do servidor CVS e depois utilizar o CVS para realizar atualizações periódicas.

CVS anônimo

  1. É necessária uma cópia local do CVS, que pode ser obtida em CVS - Concurrent Versions System (o sítio oficial com a última versão), ou em algum sítio de espelho. É recomendada a versão 1.10 ou mais nova. Muitos sistemas operacionais possuem uma versão recente do cvs instalada por padrão.

  2. Efetuar o login inicial no servidor CVS:

    cvs -d :pserver:anoncvs@anoncvs.postgresql.org:/projects/cvsroot login
    

    Será solicitada uma senha; pode ser qualquer coisa, exceto uma cadeia de caracteres vazia (Portanto, não pressione a tecla Enter antes de digitar algum caractere - N. do T.).

    Só é necessário realizar esta operação uma única vez, porque a senha é salva no arquivo .cvspass no diretório pessoal (home).

  3. Trazer os fontes do PostgreSQL:

    cvs -z3 -d :pserver:anoncvs@anoncvs.postgresql.org:/projects/cvsroot co -P pgsql
    

    (co é abreviatura de checkout. N. do T.) Este comando coloca os fontes do PostgreSQL no subdiretório pgsql do diretório corrente.

    Nota: Se for utilizado um acesso de banda larga à Internet, poderá não haver necessidade da opção -z3, que instrui o CVS a usar compressão gzip na transferência dos dados, mas em um acesso na velocidade de modem há um ganho substancial.

    A transferência inicial é um pouco mais lenta que simplesmente baixar o arquivo tar.gz; estima-se que demore 40 minutos ou mais com um modem de 28.8K. A vantagem do CVS não é vista até o momento em que se deseja atualizar o conjunto de arquivos.

  4. Sempre que for desejado fazer uma atualização para obter os fontes mais recentes no CVS, o subdiretório pgsql deve ser tornado o diretório corrente (cd), e executado

    $ cvs -z3 update -d -P
    

    Este procedimento traz somente as alterações realizadas desde a última atualização. Normalmente a atualização demora somente poucos minutos, mesmo em um acesso na velocidade de modem.

  5. É possível reduzir um pouco a digitação criando o arquivo .cvsrc no diretório pessoal contendo:

    cvs -z3
    update -d -P
    

    Este arquivo define a opção global -z3 para todos os comandos cvs, e as opções -d e -P para atualizações no cvs. Em seguida, basta executar

    $ cvs update
    

    para atualizar os arquivos.

Cuidado

Algumas versões mais antigas do CVS possuem um erro que faz com que todos os arquivos trazidos sejam armazenados no diretório podendo ser escrito por todos. Caso isto aconteça, é possível fazer algo como

$ chmod -R go-w pgsql

para definir as permissões de forma apropriada. Este erro foi corrigido no CVS versão 1.9.28.

O CVS pode fazer muitas outras coisas, como trazer versões anteriores dos fontes do PostgreSQL em vez de trazer a última versão de desenvolvimento. Para obter informações adicionais deve ser consultado o manual que acompanha o CVS, ou deve ser consultado o manual em Version Management with CVS.

Notas

[1]

Pode ser encontrado um bom tutorial sobre o CVS em EAD/CCUEC Mini Cursos Virtuais - CVS. (N. do T.)

SourceForge.net Logo CSS válido!