AltaVista
Google

11.2. Tipos de índice

O PostgreSQL disponibiliza vários tipos de índice: B-tree (árvore B), R-tree (árvore R), hash [1] e GiST. Cada tipo de índice utiliza um algoritmo diferente, mais apropriado para tipos diferentes de consulta. Por padrão, o comando CREATE INDEX cria um índice B-tree, adequado para a maioria das situações comuns.

Os índices B-tree podem tratar consultas de igualdade e de faixa, em dados que podem ser classificados em alguma ordem. Em particular, o planejador de comandos do PostgreSQL leva em consideração utilizar um índice B-tree sempre que uma coluna indexada está envolvida em uma comparação utilizando um dos seguintes operadores:

<
<=
=
>=
>
As construções equivalentes a combinações destes operadores, tais como BETWEEN e IN, também podem ser implementadas com procura de índice B-tree (Mas deve ser observado que IS NULL não é equivalente a = e não é indexável).

O otimizador também pode utilizar um índice B-tree nos comandos envolvendo os operadores de correspondência com padrão LIKE, ILIKE, ~ e ~*, se o padrão estiver ancorado ao início da cadeia de caracteres como, por exemplo, em col LIKE 'foo%' ou col ~ '^foo', mas não em col LIKE '%bar'. Entretanto, se o servidor não utilizar o idioma C, será necessário criar um índice com uma classe de operadores especial, para dar suporte a indexação de consultas com correspondência com padrão. Consulte a Seção 11.6 adiante.

A consulta abaixo mostra o idioma. [2]

=> \pset title Idioma
=> SELECT name, setting FROM pg_settings WHERE name LIKE 'lc%';

            Idioma
    name     |    setting
-------------+----------------
 lc_collate  | pt_BR.iso88591
 lc_ctype    | pt_BR.iso88591
 lc_messages | pt_BR.iso88591
 lc_monetary | pt_BR.iso88591
 lc_numeric  | pt_BR.iso88591
 lc_time     | pt_BR.iso88591
(6 linhas)

Os índices R-tree são adequados para consultas a dados espaciais. Para criar um índice R-tree deve ser utilizado um comando da forma:

CREATE INDEX nome ON tabela USING RTREE (coluna);

O planejador de comandos do PostgreSQL considera utilizar um índice R-tree sempre que a coluna indexada está envolvida em uma comparação utilizando um dos seguintes operadores:

<<
&<
&>
>>
@
~=
&&
(Consulte a Seção 9.10 para conhecer o significado destes operadores).

Os índices hash podem tratar apenas comparações de igualdade simples. O planejador de comandos do PostgreSQL considera utilizar um índice hash sempre que a coluna indexada está envolvida em uma comparação utilizando o operador =. O seguinte comando é utilizado para criar um índice hash:

CREATE INDEX nome ON tabela USING HASH (coluna);

Nota: Os testes mostraram que os índices hash do PostgreSQL não têm desempenho melhor do que os índices B-tree, e que o tamanho e o tempo de construção dos índices hash são muito piores. Por estas razões, desencoraja-se a utilização dos índices hash.

Os índices GiST não são um único tipo de índice, mas em vez disto uma infraestrutura dentro da qual podem sem implementadas muitas estratégias de indexação diferentes. Assim sendo, os operadores em particular com os quais o índice GiST pode ser utilizado variam dependendo da estratégia de indexação (a classe de operadores). Para obter mais informações consulte a Capítulo 49.

O método de índice B-tree é uma implementação das árvores B de alta-simultaneidade de Lehman-Yao. O método de índice R-tree implementa árvores R padrão utilizando o algoritmo de partição quadrática de Guttman. O método de índice hash é uma uma implementação do hashing linear de Litwin. São mencionados os algoritmos utilizados somente para indicar que todos estes métodos de índice são inteiramente dinâmicos, não necessitando de otimização periódica (como é o caso, por exemplo, dos métodos de acesso hash estáticos).

Notas

[1]

hashing — valor de identificação produzido através da execução de uma operação numérica, denominada função de hashing, em um item de dado. O valor identifica de forma exclusiva o item de dado, mas exige um espaço de armazenamento bem menor. Por isso, o computador pode localizar mais rapidamente os valores de hashing que os itens de dado, que são mais extensos. Uma tabela de hashing associa cada valor a um item de dado exclusivo. Webster's New World Dicionário de Informática, Brian Pfaffenberger, Editora Campus, 1999. (N. do T.)

[2]

Exemplo escrito pelo tradutor, não fazendo parte do manual original.

SourceForge.net Logo CSS válido!